quinta-feira, 30 de junho de 2005

Ideia peregrina

Ora aqui está uma ideia peregrina: Construir uma central nuclear em Portugal!!
Como é que ninguém se lembrou disto antes?!!
Só falta saber para ondem iriam os resíduos radioactivos... Que tal para os quintais dos empresários que se disponibilizam a pagar a construção da central?
O empresário Patrick Monteiro de Barros ("Senhor Nuclear" para os amigos) afirmou que morreram 40 pessoas em Chernobil. Mas não, morreram 31 pessoas - 2 na explosão e 29 devido à radiação.
A radiação - essa malandra - também será responsável, nos 60 anos seguintes à explosão, por um aumento dos casos de cancro - na ordem dos 20 000 a 40 000 casos! Além disso, 3 milhões de pessoas sofrem de doenças congénitas provocadas pelas radiações!
No entanto, nada disto parece preocupante, pelo menos para alguns.
Mas já que Portugal caminha a passos largos para se tornar num "piqueno" Saara europeu, porque não usar o Sol como fonte de energia?... Provavelmente porque não seria um grande desafio para as mentes empreendedoras dos nossos visionários empresários!

segunda-feira, 27 de junho de 2005

Momento Lontra

De certeza que já acordaram com a enorme vontade de adoptar uma lontra. Todos passamos por isso!
E para aqueles incautos internautas que vivem na ignorância de não saber como solucionar o problema, eis que neste blog encontram a resposta para o problema:
Basta ir a http://www.otter.org/!
No site do International Otter Survival Fund podem adoptar uma lontra e contribuir para a manutenção dos projectos do IOSF.
Se puderem passem por lá, as lontras merecem! ;-)

terça-feira, 21 de junho de 2005

'O Descanso' - Voluntárias Precisam-se

‘Em Toulouse, 12 mulheres passaram 60 dias em camas de repouso voluntariamente, para simular os efeitos fisiológicos da imponderabilidade no organismo. Hoje a equipa de investigação está activamente à procura de 12 novas candidatas para prolongar a experiência e aprofundar os resultados.
(...)
Durante 2 meses, estas 12 mulheres permaneceram deitadas com uma inclinação de 6º, com os pés ligeiramente elevados relativamente à cabeça, a fim de induzir no seu organismo os mesmos fenómenos causados por longos períodos em ausência de gravidade.’

Para a segunda fase do estudo, com início no outono deste ano, já estão abertas as candidaturas. As mulheres pretendidas só tem que ter entre 25 e 40 anos, gozar de boa saúde, não serem fumadoras, beneficiarem de uma cobertura social, falar fluentemente inglês ou francês e serem residentes na Europa.

Para quem quiser saber mais ou candidatar-se, é só ir à página da internet da ESA.

Agora que a minha casa ardeu toda,
tenho uma melhor visão da Lua.
Provérbio Chinês

segunda-feira, 20 de junho de 2005

Teoria das Cores

Era uma vez um pintor que tinha um aquário com um peixe vermelho. Vivia o peixe tranquilamente acompanhado pela sua cor vermelha até que principiou a tornar-se negro a partir de dentro, um nó preto atrás da cor encarnada. O nó desenvolvia-se alastrando e tomando conta de todo o peixe. Por fora do aquário o pintor assistia surpreendido ao aparecimento do novo peixe.
O problema do artista era que, obrigado a interromper o quadro onde estava a chegar ao vermelho do peixe, não sabia que fazer da cor preta que ele agora lhe ensinava. Os elementos do problema constituíam-se na observação dos factos e punham-se por esta ordem: peixe, vermelho, pintor - sendo o vermelho o nexo entre o peixe e o quadro através do pintor. O preto formava a insídia do real e abria um abismo na primitiva fidelidade do pintor.
Ao meditar sobre as razões da mudança exactamente quando assentava na sua fidelidade, o pintor supôs que o peixe, efectuando um número de mágica, mostrava que existia apenas uma lei abrangendo tanto o mundo das coisas como o da imaginação. Era a lei da metamorfose.
Compreendida esta espécie de fidelidade, o artista pintou um peixe amarelo.

Herberto Helder, in "Os Passos Em Volta"

O que se lê...

"Este item contém palavras proibidas, por favor apague-as."

As palavras proibidas são "democracia", "liberdade", "direitos humanos", "comunismo", "socialismo", "capitalismo", "independência de Taiwan", "Tibete", "Dalai Lama", "Tiananmen" e "Falun Gong", os locais onde não se podem escrever são os blogs do MSN Space, que é um serviço de blogs chinês.
Nota importante: A Microsoft é dona de 50% do capital da empresa à qual pertence o MSN Space.
A internet chegou ao grande mercado, mas a censura chegou primeiro! Espreitem a notícia.

quarta-feira, 15 de junho de 2005

Maternidade


Esta é a nebulosa de Orion.
Aqui nascem centenas de estrelas!!!

terça-feira, 14 de junho de 2005

Mudem

Há dias, em conversa com uma amiga, afirmei, por razões que não interessam ao assunto que aqui me traz, que talvez tivéssemos mudado. Ela respondeu-me que não mudou: “continuo a mesma pessoa de sempre”. Entendi a resposta, tinha lógica dentro do assunto da conversa e a nossa discussão teve bom desfecho! No entanto, a expressão “continuo a mesma pessoa de sempre” ficou guardada numa das gavetas do meu cérebro, mas numa gaveta que não fechou bem, como acontece quando não acomodamos bem uma camisola em cima das outras e uma das pontas impede a gaveta de fechar. Era uma gaveta que precisava ser arrumada!
O que aconteceria se realmente não mudássemos? Se tivéssemos sempre as mesmas ideias, os mesmos pensamentos, o mesmo modo de interpretar tudo o que nos rodeia? O que aconteceria se não aprendêssemos mais nada? Sim, porque ao aprender estamos a mudar. Para melhor? Para pior? Não sei, mas mudamos. O que aconteceria?... Acho que nada! Nada mesmo! Deixávamos de ter parte activa no mundo. Como uma máquina avariada: existe mas não serve para nada – ocupa espaço.
Eu não quero ocupar espaço! Eu quero estar em constante mudança! Eu quero mudar sempre! De preferência para melhor…
Nos últimos dias temos assistido à passagem na TV, de algumas das verdadeiras celebridades(1) do nosso país. Podemos não concordar com eles, podemos não gostar deles, mas não podemos ignorar o impacto que tiveram na formação da nossa liberdade, da nossa democracia, quer politicamente, quer literariamente... só foi “pena” que tenha sido para dizer um último adeus!!!

Vasco Gonçalves
Álvaro Cunhal
Eugénio de Andrade


(1) Em oposição às supostas celebridades que passam num determinado canal da TV, que ninguém sabe quem são, ninguém sabe o que fazem, ninguém conhece os seus contributos na nossa sociedade... Parece que as celebridades dos nossos dias, ascendem de outro modo, não pela valorização, mas pela cultura do ócio!!!

"Sempre Presente"

Pois é, um grupo de cidadãos de Felgueiras está a recolher assinaturas (são necessárias 2500) para formalizar a candidatura independente de Fátima Felgueiras à Câmara de Felgueiras.
Pelos vistos a senhora "vive no Brasil, mas com Felgueiras no coração"... Aliás o símbolo da candidatura é "um coração com as cores de ouro e vermelho-vivo, ao qual aparece "amarrada" a mensagem "Sempre Presente"."
Não me parece que Fátima Felgueiras esteja "Sempre Presente", tem estado é ausente. É uma "ausência" de 4000 quilómetros...
O que acaba por ter piada (ou não), é que sendo candidata, Fátima Felgueiras poderá ter direito a imunidade, uma vez que a lei eleitoral assim o estabelece.

segunda-feira, 13 de junho de 2005

Boa noite. Eu vou com as aves.

Nesta madrugada partiram duas figuras maiores do Portugal do século XX: Álvaro Cunhal e Eugénio de Andrade.

Com uma coerência implacável, Álvaro Cunhal foi líder do PCP durante três décadas. Lutou contra a ditadura, foi várias vezes preso e torturado. Dos onze anos que esteve preso, passou oito em total isolamento.
Mesmo não concordando com muitas das suas opiniões e ideais, nao posso deixar de louvar o seu brilhantismo. Foi fiel aos seus princípios sem nunca vacilar. Não tenho dúvidas de que sem ele há muito que o PCP teria desaparecido.

Eugénio de Andrade foi o "poeta solar". A melhor homenagem que se pode fazer a um escritor é ler a sua obra. Assim, torna-se obrigatória a leitura da "constelação das palavras que surgem".

Adeus

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.

Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro;
era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes.
E eu acreditava.
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.

Mas isso era no tempo dos segredos,
era no tempo em que o teu corpo era um aquário,
era no tempo em que os meus olhos
eram realmente peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.

Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor,
já não se passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.

Não temos já nada para dar.
Dentro de ti
não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.

Eugénio de Andrade

domingo, 12 de junho de 2005

"Força...

Força... força companheiro Vasco...
Nós seremos a muralha d'aço..."

(só os graúdos é se vão recordar)

sábado, 11 de junho de 2005

EdC no Espaço


(Nebulosa da Cabeça do Cavalo)
Palavras para quê?!!!

sexta-feira, 10 de junho de 2005

A MUDANÇA!

Tudo muda!
Todo o mundo é composto de mudança!

Ainda ontem eu era uma criança
Que sonhava ser adulta.
Hoje sou uma adolescente
Que continua a sonhar em ser adulta.
Amanhã serei um adulto
A sonhar ser criança.
(...)
Porque tudo muda?
Porque a vida é composta de mudança?

Sem mudança
A vida não é vida,
É um estado monótono.
Não! Eu quero a mudança.
Do bem para o mal,
Do mal para o bem
Qualquer que seja,
Que exista a mudança
Para a vida ser vida
Para a vida não ser morte!
(...)
Porque após a vida existe a morte?
Porque a mudança da vida para a morte?
Porque a morte depois da vida?

Da vida tenho eu medo
Por ser um mistério.
A morte, essa apavora-me
Porque depois da morte
Não há mais mistério
A vida acabou!

(1990-1993)
A minha contribuição neste Dia de Portugal!!!

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as magoas na lembrança,
E do bem (se algum houve), as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E, em mim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto,
Que não se muda já como soía.

Luís de Camões

Caminhada em Breitachklamm

Breitachklamm fica perto da cidade Alemã de Oberstdorf e prolonga-se Áustria adentro. Existem alguns percursos pedestres (feliz ou infelizmente) preparados para turistas onde se podem ver rápidos e grandes formações rochosas sempre acompanhadas de paisagens naturais lindíssimas. O bilhete de acesso aos percursos custa 2€/pessoa e o bilhete de comboio desde Munique custa 24€ para 2 a 5 pessoas, ambos válidos por um dia. Oberstdorf em si é uma vila tipicamente Bávara, bonita mas sem nenhum ponto de extremo interesse.

quinta-feira, 9 de junho de 2005

Seca em Portugal

"Gado
Por razões profissionais, tenho visitado a Jordânia. Pasma ver ali nas zonas desérticas bandos de cabras e carneiros a pastarem conduzidos por pastores e, para minha surpresa, todos com bom aspecto. Os empresários do Alentejo devem visitar a Jordânia em vez de enfiarem os barretes aos diferentes governos e ao povo português.
Carlos Leitão - Lisboa"
(in Visão nº 636)

Permitam-me salientar zonas desérticas: zonas desérticas.
Para quem não sabe, a Jordânia é um país totalmente composto por áreas desérticas ou semi-desérticas, ou seja, quase não chove na Jordânia! Como será então que os jordanos têm gado com melhor aspecto que o alentejano? Poderá ser porque lhe dão de comer em vez de esperarem por algum subsídio anti-seca?
Pois é, os portugueses continuam com a mentalidade do porque hei-de fazer alguma coisa se me vão dar um subsídio? Felizmente algumas entidades já perceberam isso e muitos projectos de acção social têm como objectivo ensinar a população a rentabilizar o que tem, por muito pouco que seja. É claro que muitas vezes esse pouco não serve para muito, mas bem aplicado dá sempre para um bocadinho mais...

Notas Soltas

Após uma breve ausência, eis o regresso das minhas notas ao blog.

O que valeu a pena ver e ouvir nos últimos dias:
. Concertos na Casa da Música, em particular o fantástico concerto do Andreas Scholl e do Markus Markl;
. Flauta Mágica no Coliseu - excluíndo a participação da Rainha da Noite (Tatjana Gazdik), uma experiência difícil de esquecer...
. Os Jardins e Museu de Serralves cheios de pessoas no último fim-de-semana;

E porque estamos na véspera do 10 de Junho - dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas - eis algumas jóias que só nos podem encher de orgulho nacional:

. O Alberto João Jardim - esse espécime estranho que ninguém consegue explicar...
. Os incêndios que por aí crepitam - será que ainda há alguma coisa por arder?
. O "monstro" do défice - mais um animal estranho e sub-reptício, que "apareceu" aos nossos governantes e parlamentares. A minhas dúvidas são as seguintes: Não existem comissões parlamentares de economia e finanças? Porque é que tem de ser o Banco de Portugal a fazer as contas de levam ao cálculo do défice nacional? Ninguém no Parlamento reparou no que estava a acontecer às finanças públicas? Afinal, tal como perguntava há tempos o José Júdice "Para que servem os nossos 230 deputados?"!!
. O pandemónio no trânsito ontem, à hora do almoço, na lateral do hospital de Santo António. O que causou o pandemónio? Um atropelamento. O porquê na demora da resolução do problema? Estava tudo a aguardar a chegada do INEM! O que é perfeitamente compreensível tendo em conta que o acidente se deu ao LADO do hospital!!!!
. O Rui Rio e o seu "cunning plan" que consistiu em colocar telas anónimas pela zona do Palácio de Cristal e Jardim do Carregal. Telas onde se pode ler que é a ministra da Cultura a culpada pelo atraso na conclusão das obras do Túnel de Ceuta e pelo caos instalado no local. E não é que ele sorrateiramente, e contra o embargo imposto, já está a concluir a obra!

:: Feliz 10 de Junho! ::

quarta-feira, 8 de junho de 2005

EdC Vida Selvagem II


(@astro)
A natureza não precisa de palavras...

quinta-feira, 2 de junho de 2005

Para quem tiver uns “trocos” a mais!

No próximo fim de semana (3, 4 e 5 de Junho), vai realizar-se mais uma “Feira de Minerais, Pedras Preciosas e Fósseis”. Esta é organizada pelo Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, e decorre no Edifício Gomes Teixeira, situado na vulgarmente conhecida Praça dos Leões.

quarta-feira, 1 de junho de 2005

O homem de Neanderthal

Julgado extinto há 40 mil anos, afinal ainda existe em muitos quintais portugueses...
O churrasco é o único cozinhado que um "verdadeiro" homem faz. Quando se propõe realizar um, a cadeia dos acontecimentos é a seguinte:

1 - A mulher vai ao supermercado comprar o que é necessário.
2 - A mulher prepara a salada, os legumes e a sobremesa.
3 - A mulher tempera a carne, dispõe-na numa bandeja com os talheres necessários enquanto o homem está deitado junto à churrasqueira a beber uma cerveja.
4 - O homem coloca a carne na grelha.
5 - A mulher vai para dentro de casa pôr a mesa e verificar a cozedura dos legumes.
6 - A mulher diz ao marido que a carne está a queimar.
7 - O homem tira a carne da grelha.
8 - A mulher arranja os pratos e coloca-os na mesa.
9 - Após a refeição, a mulher traz a sobremesa e lava a loiça.
10 - O homem pergunta à mulher se ela aprecia não ter que cozinhar. Perante o ar aborrecido dela, conclui que as mulheres nunca estão satisfeitas.
Claro que coisas deste género continuarão a acontecer enquanto as mulheres não fizerem mais (ou deixarem de fazer) do que queixar-se...